Apresentação do projeto

“Cada um esconde dentro de si muito mais

do que aquilo que alguma vez poderá explorar.
A não ser que criemos as condições que nos permitam descobrir
os limites do nosso potencial,

nunca saberemos o que vai dentro de nós.”

Muhammad Yunus
Fundador do Microcrédito e prémio Nobel da Paz 
2006

 

O Olha-Te é um projeto desenvolvido no âmbito da Associação Recreio Club, uma associação de carácter literário, cultural e desportivo, fundada em 16 de Dezembro de 1923, e que é uma das mais antigas e emblemáticas associações de Caldas da Rainha, mais conhecida como clube de inverno.

O Projeto Olha-Te nasceu em Outubro 2010 e tem como missão apoiar gratuitamente doentes oncológicos e familiares diretos, propocionando os mecanismos necessários ao seu desenvolvimento pessoal e social, através da realização de atividades expressivas promotoras de bem-estar físico e emocional. Consiste no ato do indivíduo olhar-se a si próprio e centrar-se em atividades expressivas e lúcidas que contribuem para a melhoria de qualidade de sua vida.

O Olha-te envolve também a comunidade nas suas iniciativas, no âmbito da prevenção primária, na área da cultura, educação pela arte, desporto, lazer e bem-estar.

Fomenta ainda a criatividade do individuo, desenvolvendo assim as suas potencialidades.

 

“O cancro é uma catástrofe individual e como qualquer catástrofe requer uma reconstrução e um novo posicionamento”

 

 Este projecto tem como mentora a associada Célia Antunes, a quem aos 30 anos, foi diagnosticado cancro que uma vez ultrapassado, passados 7 anos, sente e compreende a necessidade de desenvolver uma plataforma de apoio àqueles que da mesma forma lutam contra esta doença.

É um projecto de cariz social, baseado no bem-estar e na esperança de uma melhoria de vida das pessoas carenciadas pelas circunstâncias da sua enfermidade. Praticar quotidianamente actividades artísticas e trabalhos manuais com um sentido prático e belo. Despertando, assim, a sensibilidade artística num trabalho regular, torna-se possível a fortificação da vontade do indivíduo do conhecimento do mundo e dos seus conteúdos.

Missão: Dar vida às pessoas que estejam doentes com cancro mantendo-as activas, de forma a devolver-lhes o entusiasmo necessário a um quotidiano sustentável, física e emocionalmente estável e assim, se vejam apoiadas no processo de recuperação da doença. Trabalhar o indivíduo com actividades expressivas, realçando a criatividade e desenvolvendo as suas potencialidades.

Visão: Ser uma plataforma que possibilite oferecer às pessoas diversas técnicas, terapias e actividades que estimulem o seu desenvolvimento levando-as sentirem-se bem consigo próprias independentemente da situação que estão a atravessar.

Valores: Amor, partilha, virtude e autenticidade.

 

De uma forma resumida O Olha-Te dá “injecções de Vida” através de:

  • Atividades diárias em diversas áreas e apoio psicológico;
  • Ações pontuais em parceria com empresas, escolas e outras entidades, benéficas para a comunidade em geral e muito importantes para a sustentabilidade, divulgação e angariação de uma maior diversidade do conjunto de ações de apoio aos doentes oncológicos;
  • Em 2013 iniciámos o “Programa de Férias de Recuperação | Turismo Emocional”, para doentes oncológicos, em parceria com a Segurança Social da Bélgica, e mais tarde com uma associação da Bélgica que apoia mulheres com cancro da mama; 
  • O FUNDO ÉLIA PARREIRA destina-se a auxiliar, materialmente, doentes oncológicos que estejam a ser apoiados pelo Olha-Te e que se encontrem em situações de carência económica para fazer face a despesas urgentes (por exemplo na comparticipação de medicamentos, deslocações e estadias, entre outras);
  • É também objetivo do Olha-Te apoiar as pessoas no (re)posicionamento na vida activa, após o problema oncológico;

 

 

“A Educação pela Arte resgata o potencial criativo do homem, buscando a psique saudável e estimulando a autonomia e transformação interna para a reestruturação do ser. A busca da terapia da arte é uma maneira simples e criativa para resolução de conflitos internos, é a possibilidade da catarse emocional de forma direta e não intencional. Assim, não poderá haver contrariedade, nem doença que vá abalar um espírito estruturado e robusto porque a prática constante das artes vai dar realidade e oportunidade de fazer tudo aquilo que cada um imagina, fazendo-o simultaneamente confrontar-se consigo próprio, deixando o sonho correr e materializar-se. Assim, cada um irá entrando pouco a pouco na transformação da sua situação emocional, através de uma prática lúdica que lhe vai trazer bem-estar porque proporciona a existência de uma ação interior/exterior que intervém como terapia e que na maior parte dos casos ainda vai a tempo de uma reabilitação e inserção com um desejável grau de êxito.”

(Isabel Andrea, Psicóloga Educacional, Pós graduada em Ciências da Educação,

Especialista em Atividades Lúdicas e Expressivas)

Louvor – Assembleia Municipal das Caldas da Rainha

 

No dia 15 de Maio de 2016 recebemos a Medalha Municipal de Mérito Humanitário no âmbito das Celebrações do dia da cidade de Caldas da Rainha.

13226791_496005157256241_5070719763230406152_n