Leilão do espelho do Movimento Pintas com Amor

Janeiro 30, 2013 in Agenda, Blogue

 

Lembram-se das nossas Pintas com Amor?

Tudo começou em Novembro de 2012. O João Carvalho criou o espelho (o coração emoldurado em pasta de papel, uma imagem de marca do artista e, também, já um dos símbolos do Olha-Te), com o apoio da papelaria Vogal. A Célia Antunes pintou a primeira pinta. E o espelho do Atelier do Papel andou a cirandar e a recolher pintas e amor. Podem ver todas as fotos na nossa página do facebook.

 

Esta iniciativa solidária permitiu ao Olha-Te recolher 25 cêntimos por cada pinta (no total, 143,15€ ). Mas ainda falta o leilão do espelho, uma obra de arte participada, carregadinha de cor e de amor. A licitação-base será de 50 euros e o céu é o limite… A rádio Mais Oeste apoia esta iniciativa – poderá ver o espelho ao vivo no estúdio da rádio, no Vivaci.

Depois, junte-se a nós no próximo dia 13 de Fevereiro e leve para casa uma peça belíssima do ponto vista estético e do ponto de vista emocional. É uma combinação que não tem preço! Poderá participar via facebook ou através do telefone 910 889 912. O leilão será transmitido, em directo, na rádio Mais Oeste.

P.S.: Aproveite para saber mais sobre o trabalho de João Carvalho e do Atelier de Papel no programa Praça da Alegria, na RTP, no próximo dia 30 de Janeiro, entre as 10h e as 12h.

Convite para um leilão neste domingo

Maio 12, 2011 in Agenda, Blogue

É para nós um imenso orgulho convidar-vos para virem ter connosco, no próximo domingo, pelas 17h30, à Exposição Solidária de obras de Artur Pires – Vitrinista «A Reinvenção do Comércio Tradicinal», que decorre no nº 8 do Largo José Barbosa (Terreiro das Gralhas).

Nesse dia iremos leiloar uma serigrafia do pintor Taraio, generosamente oferecida pela ACCCRO – Associação comercial do concelho de Caldas e Óbidos, para apoiar as atividades do Olha-Te.

Contamos convosco para assistir e/ou participar em mais um momento Olha-Te, em que a Arte e a Generosidade se encontram em prol do Outro 🙂

Até domingo!

Exposição solidária “Reinvenção do Comércio Tradicional”

Abril 28, 2011 in Agenda, Blogue

Aceite o nosso convite para a inauguração de mais uma exposição Olha-Te, no dia 1 de Maio, pelas 15h30, no nº 8 do Largo José Barbosa.

Esta exposição tem como fim a angariação de fundos para o desenvolvimento do nosso projeto. Para isso, contou com a generosidade do artista Artur Pires, na oferta das suas obras, e com o apoio da ACCCRO – Associação comercial dos concelhos de Caldas da Rainha e Óbidos, que gentilmente ofereceu uma serigrafia do artista Luís Taráio para ser leiloada no dia 15 de Maio.

Junte-se a nós nesta iniciativa que glorifica a história do nosso comércio tradicional, ao mesmo tempo que dá as mãos ao Olha-te nesta nossa caminhada pelo apoio aos doentes oncológicos.

Contamos com a sua presença!

Artur Pires – Vitrinista

A reinvenção do Comércio Tradicional

Exposição de Artes Plásticas – de 1 a 22 de Maio, Largo José Barbosa (antigo Terreiro das Gralhas)

Promover uma exposição de algumas obras de Artur Pires, em Caldas da Rainha, é evocar e homenagear o comércio tradicional. Artur Pires foi o primeiro vitrinista de Caldas da Rainha e nessa medida o inventor dessa profissão de decorador de montras. Durante mais de 30 anos foi espalhando o seu talento pelas lojas da cidade fazendo das montras a sua galeria sem reivindicar para si protagonismo de artista, mas promovendo com a sua sensibilidade estética o negócio de cada comerciante, valorizando espaços transformando-os criativamente.

Esta iniciativa do Projecto Olha-Te tem como ponto de partida a generosidade de Artur Pires, que doou um conjunto de objectos recuperado do seu acervo, para uma exposição com o objectivo de realizar fundos que contribuam para a sustentabilidade de um projecto, que tem como missão apoiar cidadãos que enfrentam problemas de saúde.

A densidade e a textura social e cultural das cidades também se constroem com estes gestos de solidariedade, interpretados por Artur Pires e pelo Projecto Olha-Te. O gesto e a iniciativa foram bem compreendidos pela direcção da ACCCRO – Associação Comercial dos Concelhos de Caldas da Rainha e Óbidos, que se associa a esta exposição colocando também alguns objectos seus em diálogo com as obras de Artur Pires.

Lançando mãos à sua criatividade e à sua formação plástica, Artur Pires concebeu muitas vezes os objectos artísticos que a sua actividade de vitrinista reclamava para criar o ambiente único, a atmosfera excepcional, a montra exclusiva, que cada comerciante tinha como expectativa. São alguns desses objectos criados e recriados por Artur Pires que agora se mostram. São objectos singulares que por si só também manifestam outras relações do criador com a cidade e o modo como a leu e interpretou. A estes juntam-se duas fotografias históricas emprestadas pela ACCCRO que reforçam esta relação especial da cidade com o seu comércio tradicional. Também da ACCCRO vem uma oferta muito especial para o Projecto Olha-te: uma serigrafia de Luís Taráio que condensa simbolicamente as melhores referências históricas e culturais do nosso passado recente, com a figura de Bordalo Pinheiro em destaque.

Calda da Rainha é reconhecidamente uma cidade onde o comércio tradicional tem um papel significativo. Evocar o passado recente, em grande medida ainda presente, é mais do que homenagear os protagonistas do passado ou do presente. Propor uma exposição de Artur Pires, com o envolvimento da ACCCRO e a presença de Luís Taráio, é um apelo à reinvenção do comércio tradicional, e nessa medida, um chamamento colectivo para uma acção transformadora e criadora de uma cidade melhor, mais qualificada e mais dinâmica, mais apoiada nas suas referências e na sua cultura própria. Uma cidade certamente mais generosa e mais solidária.

Caldas da Rainha, 23 de Abril de 2011.

Encerramento da exposição de João Carvalho

Abril 27, 2011 in Blogue

Como um dos valores do Olha-Te é a partilha, cá estamos nós mais uma vez a partilhar um momento.

Dia 9 de Abril, foi o encerramento da exposição de “espelhos e produtos em pasta de papel” de João Carvalho.

João Carvalho que começou como artesão por ocasião. Como refere o João: “Comecei por reutilizar o papel e espelhos antigos para decorar a casa. Foi um impulso de uma ideia que surgiu e gostei do resultado”. Pois este impulso criativo deve ser aplaudido! Diferentes formas, estilos, tamanhos, cores. Para cada estilo de decoração encontramos um espelho que se adequa. Também encontramos no trabalho do João cabides… sim … cabides em pasta de papel, uns até com suporte. E como a necessidade faz a criatividade fluir… fluir… pensar em arrumar as pulseiras, os fios, as chaves quando chegamos a casa… e encontramos aqui também soluções. Pois… acreditamos que o João Carvalho irá ter muito mais insights que nos vão surpreender!

E como divulgámos, esta noite foi para o encerramento da exposição, para dar a conhecer a sede do Olha-Te a quem ainda não conhecesse e para os que já são da família. Seria também um serão de acolhimento às novas pessoas que recebíamos como se em nossa casa fosse.

Os da família Olha-Te que não puderam estar presentes (nem sempre conseguimos estar onde queremos) estiveram presentes no coração do Olha-Te… tal como existe o espelho “Nós coração do Mundo” do João Carvalho, onde estamos todos!

Tivemos dois desafios a representar algumas das actividades permanentes semanais.

1º Desafio: Contemplação de Arte

A contemplação do quadro que o Jorge Muchagato ofereceu ao Olha-Te:

“ Dispõe de 5 minutos e olha para esta pintura

…partilha connosco essa experiência…

(Atenção: aqui não há limitação para os teus devaneios!) ”


2º Desafio: Escrita criativa

Utilizando o verbo “olhar” e a palavra “espelhos” escrever entre 10 a 15 linhas, prosa ou poesia, sendo que a primeira e a última frase devem incluir uma forma do verbo “olhar” e a apalavra “espelhos”

Este desafio ficou para o fim e foi extraordinário. Ficámos em silêncio durante algum tempo, cada um de nós olhou para si próprio e deixou que a criatividade e o sentimento próprio fosse buscar dentro de si um texto para fazer face ao desafio. Todos tivemos de ler em voz alta (outro desafio para alguns que conseguiram ultrapassar) o seu próprio texto e, assim, numa partilha de ideias, prosas e poesias pudemos sair transformados.

Tal como referiu o Padre Eduardo numa das últimas sessões de Contemplação de Música, é “como um pedaço de barro que a partir daquele momento vamos modelando a criar o nosso próprio ser, a obra de arte que somos cada um de nós individualmente”. E quanto melhor cuidarmos até dos mais ínfimos pormenores, melhor sairá ela. Mesmo que às vezes tenhamos que refazer, voltar a molhar o barro e reformular… com paciência, valores, virtude e com impulsos também, da maneira que acharmos melhor.

E para descrever o sentimento daquela noite citamos o texto que a Sara deixou no facebook logo no dia a seguir:

«Obrigada Olha-te pela noite de ontem, sem dúvida foi um momento muito bem passado. A sala estava alegre, as pessoas estavam serenas e o Olha-te estava cheio de boa energia! Lá se juntaram todos os motivos e todas as pessoas para me fazerem pensar, no caminho para casa, o orgulho que tenho em fazer parte deste projecto:) Em tempos pensei que foi a doença que nos uniu, hoje tenho a certeza que o que nos uniu foi a força, a alegria, a coragem e a luz que existe dentro de cada um de nós… Sinto-me muito mais feliz, por saber que tenho uma equipa tão fantástica dentro do meu coração 🙂 »